Pensa em uma mulher dentro do padrão de beleza imposto pela mídia e pela sociedade. Então, eu nunca fui e nunca vou ser como essa mulher e eu ainda não consegui aceitar completamente esse fato. Aliás, muitas mulheres ainda também não conseguiram... não aceitam o simples fato de serem diferentes, de serem únicas. A sociedade diz tanto que devemos fazer parte de um padrão de beleza que na verdade é incansável... Já percebeu que é raro ouvirmos essas mesmas pessoas impor empoderamento, a força para as mulheres e incentivando nadar contra a maré de manequins 38? De fato, a sociedade é tão louca e tão vazia que não se importa se somos mulheres vazias e mal amadas por nós mesmas, fazendo parte do padrão de beleza, está tudo bem. Mas já chega! Eu não quero mais ser essa mulher, eu não quero mais estar dentro dos padrões de beleza da sociedade, eu não quero ser perfeita! Eu só quero ser mulher, com todos os meus defeitos, quilos a mais, manchas, cabelo com pontas duplas, celulite, estrias entre outras perfeitas imperfeições. Depois de sofrer tanto com a ditadura da beleza, tentando ser o que eu nunca seria, hoje eu só quero ser eu mesma, eu não quero mais ser como a modelo da capa da revista, como a blogueira fitness, eu não quero ser como a atriz da globo, eu só quero ser eu mesma, sem medo, sem cobrança, aceitando tudo em mim, enxergando que eu sou linda da minha forma e todas as outras mulheres também, e que a beleza de uma outra mulher não significa a ausência da minha. Eu estou aprendendo a não querer ser somente uma mulher bonita, mas antes de mais nada ser uma mulher inteligente, forte, empoderada, que tem amor próprio e que não precisa mais se encaixar para se aceitar, para se amar. Comece uma revolução, comece a se amar.