Entre milhas - O grande dia | Parte II

11 de março de 2017



CONTINUAÇÃO - CLIQUE PARA LER PARTE I 

Um garçom jovem, de pelo menos 1,80m de altura, moreno e da cor do pecado, se aproximou da mesa.

- Olá senhoritas. - Ele sorriu.

- Olá. - Falaram em coral. 

- Não pude deixar de reparar na conversa de vocês. - Ele parecia sem jeito. - Brasileiras, certo?

- Sim! - Tati exclamou com entusiasmo. - E você... 

- Tati. - Cíntia cutucou o braço da amiga. 

- Eu só fiquei curiosa. - Ela deu de ombros.

- Não tem problema nenhum. - Ele sorriu, mais uma vez. - Eu sou brasileiro também, mas estou morando em Portugal faz três anos.

- Nossa! Que demais! – Tati falou com um sorriso no rosto enquanto trocava olhares sedutores com o garçom.

– Nós chegamos em Lisboa hoje e pretendemos ficar por aqui mesmo. - Ela garantiu.

Entre a paquera dos pombinhos Cíntia olhava o menu, de forma atenta.

- Não querendo atrapalhar... – Ela pigarreou. – Mas eu vou ficar, para a entrada, com a Horta da Galinha dos Ovos de Ouro, ok? – Folheou uma página.

- Para o prato principal eu acho que vou escolher... – Fez uma pausa, percorrendo o dedo sobre a página. - Esse aqui, Lombo de Novilho Corado, parece ótimo para mim. - Folheou mais uma página.

- E para beber um Pinot Noir de 2012, por favor. - Ela sorriu convencida.

- E você Tati, o que vai querer? - Cíntia entregou o menu em suas mãos, olhando para a melhor amiga.

- Deus, quanta opção! - Ela riu sem jeito enquanto olhava para o garçom com o canto dos olhos. - Mas vamos lá.

- Eu vou querer esse aqui, Leitão Revisitado. E para beber a mesma coisa que a Cíntia. - Ela sorriu, aliviada.

- Acho que é isso, muito obrigada... - Qual o seu nome mesmo? – Tati perguntou.

- Anotado. – Ele retribuiu o sorriso. - O meu nome é Gustavo e o prazer é todo meu.

Ele falou enquanto olhava para Tati mais uma vez e caminhava em direção a cozinha.

- Você gostou do Gustavo, não é? - Cíntia virou para Tati.

- Eu?! Pareceu que sim? E ficou muito na cara? – Ela perguntou assustada. - Ah amiga, aquele sorriso... É surpreendentemente lindo. 

- Mas é claro que não vai passar de um garçom bonitinho que atendeu a gente, não é? - Fez bico, apoiando o seu rosto sobre a mão.

- Sabia! - Cíntia vibrou. - Está na cara, mas não liga não, está na cara dele também. - Ela piscou para a Tati.

- Duvido! - Ela riu.

Depois de uma hora no restaurante.

- Nossa amiga... Eu tinha esquecido completamente de perguntar, conversou com o Arthur depois da viagem? Como é que vai ser a relação de vocês com a distância?  - Tati falou, olhando a sua amiga.

- Não Tati, ele está offline até agora e não atende as minhas chamadas, deve ter acontecido alguma coisa, não é? – Ela desviou o seu olhar para baixo, tristonha.

- Talvez sim. Talvez não – Ela pegou na mão da amiga. – Mas olha ao seu redor! – Falou com um sorriso no rosto, contagiando a Cíntia.

- Não permita que nada estrague isso. Está bem? - Tati falou.

- Você está certa.  – Ela retribuiu o sorriso.

- Mas e você, depois de término com o Davi,  está pronta para outra? - Completou.

- Quando se trata de amor, acho que estou sempre pronta. - Tati ficou vermelha.

Gustavo se aproximou da mesa para entregar o pedido.

- Olá garotas, aqui está o pedido de vocês.

 Ele colocou os pratos sobre a mesa.

- Obrigada e bom apetite. - Ele sorriu, não desviando o seu olhar de Tati.

- Obrigada Gustavo. - Ela sorriu. - A propósito, eu me chamo Tati. 

As duas terminaram os seus pratos em uma fração de segundos, deliciadas pela gastronomia local. Tati pagou o jantar e foi até o banheiro do estabelecimento. Cíntia esperou do lado de fora enquanto acendia um cigarro.  

- Está fumando de novo? - Indagou Tati.

- Pois é. - Cíntia respirou fundo. - Não gosto quando o Arthur some.

- Eu sei. - Falou.

Tati parou na frente da amiga com um pedaço de papel nas mãos.  

- Mas eu tenho uma boa notícia! - Ela balançou o papel de forma eufórica.

- O que é isso? - Cíntia falou indiferente.

- Gustavo.  - Tati deu um sorriso tímido. - Ele me passou o seu número.  

- Legal. – Cíntia apagou o cigarro com o pé.

- Ele vai nos apresentar Portugal, certo? - Ela falou na tentativa de parecer animada.

E as duas foram para casa tagarelando sobre o Gustavo, o Arthur e o que fariam no dia seguinte em sua nova aventura.

Uma história escrita por duas amigas separadas pela distância e unidas pelo sonho de conhecer o mundo.

16 comentários

  1. Uma das coisas mais legais é que vocês duas conseguem fazer algo muito legal e muito bem-feito mesmo com a distância.
    Parabéns e continuem!

    ResponderExcluir
  2. Onde que fica o dom de escrever textos de histórias incríveis?! Rsrs Sempre quis escrever livros de romances e adolescente, mas não sai nada!! E ai?! Eles ficam juntos?? rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, nós ficamos felizes que tenha gostado <3 Certeza que tenha dom sim!! <3

      Excluir
  3. Adorei a escrita de vocês duas e é raro encontrar duplas que mantenham o mesmo tom de uma obra... É tão bom viajar e poder descobrir lugares, culturas e pessoas novas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo! Deu super certo, nos tornamos melhores amigas <3 Obrigada! Beijos

      Excluir
  4. Goste da segunda parte também hahaha Não é muito minha praia ler livros,contos, etc no computador por causa da visão, mas gostei da história =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! <3 Obrigadaaa

      Excluir
  5. Muito legal a ideia das duas mesmo longe escreverem, amei o texto foi muito bem elaborado. E ainda o meu nome é de uma das personagens <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, ótimo ter gostado Tati! Simmm, a nossa personagem maravilhosa! Obrigada <3

      Excluir
  6. Oi miga linda! Só amores pelo nosso texto. Obrigada por tudo e que venham outros capítulos e aventuras. Eu te amo. Parabéns e sucesso com o blog. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi bff maravilhosa! Obrigada por tudo, eu te amo demais <3

      Excluir
  7. Este texto dava para ser continuado, sem dúvida! Acho que o Gustavo parece uma boa pessoa, mas fiquei um bocadinho reticente com a facilidade com que deu o número à Tati. Poderia transformar-se numa história de crime eheh

    My Own Anatomy // GIVEAWAY DE UM CADERNO COM PADRÃO MÁRMORE ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vamooos <3 Poderia mesmo Marli, séra? hahaha <3

      Excluir
  8. Que legal, quero a continuação, vocês escrevem muito bem e a história é super gostosa de ler.
    Charme-se

    ResponderExcluir

© Mundo de Fany . Design by Fearne.