Theodore é um homem comum e solitário, que é cheio de inseguranças, dúvidas pessoais e conflitos afetivos, ele tem dificuldades de se relacionar com outras pessoas. No entanto, sua vida passa a ganhar um novo rumo e sentido quando conhece Samantha, a voz de um sistema operacional, no desenrolar da historia Theodore e Samantha passam a se envolverem e o que no começo era uma amizade se transforma em amor.

Após um divorcio que Theodore recusa aceitar, ele se tornou um cara solitário, com questões pessoais. Ele trabalha em uma empresa bem diferente que escreve cartas para as pessoas enviarem para outras pessoas, e mora em um apartamento amplo e sozinho, sua distração é jogar um jogo 3d, e vive sonhando com sua esposa, e ainda a ama, por isso ainda não assinou os papeis do divorcio. No trabalho ele se aprofunda na escrita de suas cartas consegue ser muito delicado e sensível. Quando ele conhece Samantha, o sistema operacional, sua vida começa a mudar, e para melhor, eles passam a serem amigos até começarem a se gostar, até chegar a amor, de ambas as partes. Eles se divertem, viajam, saem com os amigos. Quanto ao relacionamento não ser comum, os dois agem normalmente a isso, e na parte sexual se entendem bem. Samantha é super desenvolvida e eficiente, ela organiza os emails de Theodore, avisa seus compromissos, e sempre está tentando levantar a autoestima dele. Quando Samantha se envolve com Theodore e passa a ama-lo, ela se vê tendo sentimentos e pensamentos cada vez mais perfeitos, isso a faz querer ser real. O filme se passa em Los Angeles, parece ser futurista e ele com uma edição maravilhosa e estilo vintage presente. O que a proposito me agrada bastante. Bom, na minha opinião o filme é muito interessante, mas você precisa assistir ele com atenção pois não é um filme fácil de se entender e compreender. O filme é diferente de tudo que já vi, quando você termina de assistir, você pensa em várias, e se faz perguntas. Eu gostei bastante do filme, ele foi muito bem escrito, pensado e produzido, a ideia do filme é genial, e muito bem construído. Gostei da confusão que o filme fez na minha cabeça, como eu disse parece ser no futuro, mas ele traz muitas referencias que nos faz pensar que se passa na década de 60 ou 70, ou seja, ninguém sabe onde passa, gosto de ficar pensando nessa questão de espaço e tempo. Não me esquecendo, preciso citar Joaquim Poenix o ator que interpretou Theodore, foi exatamente impecável, outra pessoa não faria tão bem quanto ele.

O filme traz a questão de sobre quando os computadores irão transmitir seus sentimentos e agir de forma passional a ponto de ser como a Samantha. E que cada dia que passa as pessoas estão trocando a relação pessoalmente pra ter e manter relações virtuais, sejam om jogos pessoas ou qualquer outra coisa virtual, podemos ver isso acontecer a todo momento, muitas vezes podem ser até mesmos nós. E aí, você já assistiu Her? Se sim, gostou? Se não, corre pra assistir, e vem me contar depois tá? Beijos e até mais.