Vai ter BEDA sim bebê! Mesmo ao meio de problemas, e correrias da vida. Cá estou eu avisando que sim, vamos ter BEDA esse mês de Agosto. E sim, espero que vocês venham me visitar todos os maravilhosos dias, YES! Irá ter muitas coisinhas legais pra vocês. Textos, séries, filmes, quem sabe umas receitinhas? Vou contar sobre minha nova dieta, (Oremos para agora ir). Quero só ver quem vai me aguentar todos os dias, (deveria ter oscar de premio) Enfim, por enquanto é isso queridinhos do meu coração, começa amanhã em? E pra quem não sabe, BEDA quer dizer que vai ter postagem todos os dias aqui no meu mundinho. Beijos, orem e torçam pra mim. Não se esqueçam de passar por aqui todos os santos dias, e de se escreverem na newsletter, pra vocês receberem notificação de postagens novas no email. Hmmm, mais uma coisinha, não se esqueçam de deixar temas de postagens que vocês querem ver aqui no blog, algo que quer que eu fale, dicas de algo, não sei.. Usa essa cachola aí e me fala, beijocas, e um abraço apertado. 

Depois de presenciar o suicido de uma mulher que é exatamente igual a ela, Sarah assume a identidade da suicida para resolver seus problemas financeiros. Mas logo ela descobre que entrou em um problema maior ainda, e que está no centro de um mistério que vai mudar sua vida completamente ainda mais quando se vê cara a cara com mais três mulheres idênticas a ela. Todas elas são clones, e precisam salvar suas próprias peles enquanto tentam descobrir quem está por trás de todo o experimento genético.
Minha opinião sobre está série é somente que ela é incrível. É uma das melhores séries que assisti, tudo muito bem feito, quanto o roteiro, quanto a escolha dos personagens, a edição com cara de filme. É impecável. A historia toda se encaixa e faz com que você se envolva nela completamente, cada episódio vai te prender pra você assistir o próximo, eu quem o diga pois terminei a série em 4 dias. Cada clone é diferente uma da outra, tem a drogada que é mãe, a mãe treinadora viciada em remédios e bebidas alcoólicas, a cientista homossexual, a que foi treinada pra matar, a sem coração, e muitas outras. O mais incrível disso tudo é que a atriz que faz a Sarah, é a mesma que faz todas as outras clones, e você não se dá conta disso depois do primeiro episódio, ela faz a gente pensar que existem clones de verdade, sim, é louco.
A série não são somente as clones, claro. No decorrer dos episódios você vai conhecendo personagens maravilhosos, como o Felix que traz um pouco de diversão pra série. O Vic que é o ex namorado de Sarah, a Senhora S que tem um desenrolar muito bom na série, a Kira que é filha da Sarah, e que é uma garotinha maravilhosa. Enfim, são muitos. 
No desenrolar você irá entender muitas coisas sobre o Clube das Clones, e o porque de tudo isso. É muito difícil falar de uma série sem dar spoliers, então é por isso vou parar por aqui. Mas não deixem de assistir, vocês vão amar. E se você já assistiu me conta aqui o que você achou, até.
Pensa em uma série idiota, e que tem tudo pra ser fútil, mas não é. Então, Raising Hope é exatamente assim, é uma série muito engraçada, mas que não deixa de ensinar algo a cada episódio, e melhor de uma forma muito descontraída. O que mais me instigou para começar  e terminar até o final, foi logo no episodio piloto que é o fato de ela não ser aquela série engraçada dos EUA que sempre se parece com todas as outras do gênero, ela é totalmente diferente, e muito louca pra deixar bem claro. A série conta a historia de uma família bem fora da caixinha que a proposito é a família Chance. Jimmy, está com sua vida estagnada, sem rumo algum, limpa piscina as vezes pra ganhar um troco, e vai a festas todas as noites pra pirar o cabeção e descolar uma gatinha. E apesar de ter seus 23 anos, Jimmy inda vive com a seus pais Virginia e Burt e sua avó Maw Maw, que a proposito, são loucos porém maravilhosos. Sua vida vira de cabeça pra baixa quando ele por acidente ou não, se envolve com Lucy, que logo na noite seguida ele descobre que ela é uma assassina em série procurada pela policia. Meses depois, quando Jimmy visita Lucy na cadeia, recebe a noticia de que Lucy está gravida de um filho seu. E depois que ela dá a luz, quem tem que cuidar do bebê é o Jimmy, e aí começa aparecer as dificuldades para cuidarem da criança, todos ali não tem estrutura e nem sabedoria nenhuma pra cuidar do bebê. E é aí que a loucura toda começa.
Como eu disse, o fato da série não ser como nenhuma outra, pelo menos não que eu tenha visto, faz com que ela seja mais interessante. É engraçado como nada dá certo para eles, e como eles sempre reagem bem de uma forma ou de outra com isso no final das contas, o que eu achei mais incrível como disse acima, é que a cada episodio é algo novo que você aprende, e de um jeito muito descontraído, e engraçado, sem forçar nada, muito natural. É uma série muito gostosa de se assistir, são 4 temporadas, e passam super rápido, você acaba se apegando a família Chance, talvez por eles serem gente como a gente, são estranhos, você sente que é real por mais que seja uma série, que chega mais a nossa realidade, os personagens se entregam, e depois da primeira temporada, você já se sente em casa. Confesso que eu não esperava muito da série, pensei que seria só mais uma série boba e fútil, mas não. Me surpreendeu muito, super indico a vocês assistirem, é uma pena que foi cancelada, adoraria que tivesse mais de 4 temporadas. Tem na neflix. 
Saudade é inconstante as vezes dói e machuca, as vezes chega até a latejar, as vezes parece que ela nem está ali, mas na verdade ela sempre está, e sempre estará, saudade é inevitável,  sempre a sentiremos, ela pode amenizar, mas ela nunca vai embora. É um cheiro, um abraço, a música preferida de alguém que está longe, ou aquele retrato em cima da estante de alguém que foi embora e não voltará mais. Saudade é fechar os seus olhos e sentir alguém sem esse alguém estar ao seu lado, saudade é enlouquecer nas noites escuras e solitárias, é chorar de soluçar por alguém que Deus levou a 10 anos mas você não superou, e nunca vai superar, afinal, a saudade serve pra lembrar o quanto amamos as pessoas e o quanto elas importam pra nós, é o empurrão que a vida dá pra gente ligar ou mandar um sms dizendo que estamos com saudade. Saudade é a prova de que tudo valeu a pena, é a vontade de fazer tudo de novo, é a vontade de estar ao lado de alguém que você ama, e te lembrar que você pode fazer de tudo pra ver essa pessoa, enquanto há tempo. 
Resultado de imagem para The new normal

The new normal - A série acompanha um casal homossexual que sonham iniciar uma família. Eles contratam Goldie, uma garçonete e mãe solteira com problemas pessoais e financeiros pra ser sua barriga de aluguel. Essa série é maravilhosamente engraçada, eu sou apaixonada pela filha da Goldie a Shanaia, que é uma gracinha, dá vontade de ser mãe dela, sério! A série aborda bem de perto e com um ar bem cômico o preconceito principalmente homofobia e racismo. A a mãe/vó da Goldie, a Jane é homofóbica e racista, mas ela é obrigada a mudar isso quando sua neta/filha decide ser barriga de aluguel de um casal gay que tem uma amiga racista. O Bryan e o David são bem diferentes, quanto no trabalho e quanto na família, isso faz com que a série seja cada vez mais engraçada É uma série descontraída e muito gostosa de assistir, a cada episodio é uma novidade, ela não fica na mesmice sempre tem algo novo que faz com que a gente sempre queira assistir o próximo episodio, uma pena que foi cancelada e que só tenha uma temporada, mas com certeza se tivesse mais temporadas, e fosse tão boa quanto a primeira, eu iria assistir. Ah, tem na netflix.