O amor é lindo, todos sabemos disso. Mas a verdade precisa ser dita, e eu vou logo dizendo, se alguém te disse que a vida a dois seria fácil, mentiu pra você. Pois cada ser humano tem suas particularidades, não é mesmo? Sendo assim é muito comum termos problemas pontuais na conveniência diária com outras pessoas, principalmente se essa outra pessoa veio de uma outra cultura, com manias completamente diferentes das suas, assim como é comigo e com o Felipe. Sim, mesmo que não sejamos de países diferentes, e sim apenas de estados, eu aqui do estado de São Paulo e ele nasceu e morou a vida toda no Rio Grande do Sul, já é motivo para termos tantas manias e costumes diferentes. Mas sei que mesmo quem nasceu na mesma cidade muitas vezes passa pelo mesmo, pois cada em cada casa há uma família com suas particularidades e manias, e claro, isso tudo fica em nós e levamos para onde formos quando saímos de casa.
O inicio desta vida a dois é um pouco complicado, bom. Ao menos pra mim foi, pois tudo é muito diferente, como falei acima, cada um de nós tínhamos manias totalmente diferentes uma do outro, o que era muito importante pra mim não era para ele, e vice versa. E isso no inicio dessa nova fase vivendo a dois se torna algo bem difícil e desafiador. Por isso, a minha dica é: Releve algumas coisas nesta adaptação, não comece e nem deixe o outro começar discussões por nada, curta esse inicio de vida a dois, deem bastante risada de coisas bobas, das manias um dos outro, aceite o que for importante para o outro, entenda que o outro não é como você, ou seja, nem sempre ele tem a mesma percepção sobre algumas coisas como você tem.


Tomem decisões juntos. Se forem pintar as paredes, escolham as cores juntos, se forem ao mercado façam uma lista juntos, e por ai vai. Ao menos no inicio é muito importante para um conhecer um pouco melhor os gostos e decisões do outro. E claro, ambos querem participar dessa nova fase, das finanças, da casa em si. É sempre importante incluir um ao outro nessas questões.


Dividam tarefas de casa. Tem coisas que somos melhores fazendo, como por exemplo: Aqui em casa, eu sou melhor na louça, em cozinhar, lavando roupas. Então eu faço sem problemas, e ele fica com outros a fazeres, como: Fechar e levar o lixo, trocar a ração e água do nosso gatinho, varre o chão, e sempre tá me ajudando em outras tarefas da casa. A verdade é que não é nada legal ficar toda a tarefa da casa para um só, é muito importante dividir as tarefas, e um ajudar o outro sempre que pode. Afinal, a casa é dos dois, os dois precisam se ajudar.

Tome cuidado com a rotina. Acho que o maior e pior inimigo de uma vida a dois é a rotina. Não que ter uma rotina em si seja horrível, mas em um relacionamento mesmo que não seja morando junto, é sempre importante surpreender o outro, não deixar o romance cair na rotina. Faça sempre coisas diferente, vá a lugares diferentes, mude os móveis de lugar, e muito importante procure não deixar esses dias ruins que todos nós temos te transformar em uma pessoa chata e rabugenta, não desconte no outro as suas dores e tristezas. Pois isso pode ser fatal em uma convivência a dois.

  A vida a dois não é fácil. Mas isso não quer dizer que seja ruim, ao contrário, é ótimo ter sempre alguém por perto. Alguém cuidando de você, te ajudando no que você precisar, uma companhia para todas as horas, e acima de tudo, alguém que você tanto ama. Convivência em si não é fácil, independente com quem seja, pais, irmãos, sogros, primos, tios, avós, qualquer pessoa que a gente conviva dia após dia, é muito fácil termos algum tipo de problema com elas. Mas em um relacionamento o foco é suportar esses probleminhas de convivência e fazer a mesma ser a melhor e mais gostosa possível. Então, sempre que puder, surpreenda o seu parceiro, esteja presente não só de corpo, mas também de alma. Faça a diferença na vida dele(a) que eu tenho certeza que será incrível mesmo com todas as dificuldades!




Uma hora você precisa deixar ir. Deixar ir o que já foi há muito tempo. Deixar ir quem não se faz mais presente, quem não quer estar presente. Quem já não se lembra mais dos planos que fizeram juntos. Deixe ir amizades que já não acrescentam mais nada em sua vida, amores platônicos que já não são mais reais. Tudo na vida tem sua chegada e a sua partida, precisamos compreender isso para sofrermos menos. Deixa ir. Vai ser melhor assim, a vida fica mais leve. E quando você menos esperar, você nem se lembrará mais, não se importará mais com a ausência daquela pessoa que um dia foi tudo na sua vida, até mais do que você mesmo. É preciso se desprender das pessoas. Confesso que se apegar até certo ponto é realmente bom, mas também precisamos saber desapegar, se desapegar das pessoas que sabem se desapegar de nós tão facilmente que parece que nunca significamos nada a elas. De repente não dói mais, de repente tudo se torna memórias e grandes aprendizados. Existem pessoas que passam pela nossa vida para nos ensinar grandes coisas e depois, sua jornada em nossa vida chega ao fim, e tudo bem. Precisamos entender que a vida é como uma longa viagem de trem, cheia de embarques e desembarques. Não quer dizer que não haverá tristeza e lamentações nos desembarques, e sim que precisamos ser fortes e mesmo com a dor, deixar ir. Pois novos embarques virão. O melhor ainda está por vir.
"Depois de passar por um término devastador, a jornalista musical Jenny (Gina Rodriguez) resolve fazer uma longa viagem por Nova York com suas melhores amigas. Pretendendo fazer desta uma noite inesquecível, elas acabam aprendendo muito mais do que imaginavam e vivem alguns dos momentos mais importantes de suas vidas..."
Bom, esse filme é um tipico filme de fim de relacionamento e começo de uma nova vida. A história de Alguém especial gira em torno de três amigas: Jenny, Erin e Blair.

Jenny, a protagonista. É jornalista musical, ela conseguiu um emprego na revista Rolling Stone e para isso precisará se mudar de Nova York para San Francisco. Ela achou que seu relacionamento com Nate (seu namorado há nove anos) poderia dar certo a distancia, mas não foi bem assim, Nate resolve terminar com Jenny poucos dias antes da viagem.

Erin é aventureira e está sempre disposta e pronta a aceitar  experiências novas. Mas na verdade, ela está insegura de demonstrar o seu amor por outra mulher, depois de ter seu coração partido outras vezes.

Blair, é a mais certinha da turma (até certo ponto). Ela trabalha com este mundo de mídias sociais. Ela gosta de andar nos trilhos, de fazer a coisa certa. Tem um relacionamento com um cara que odeia e não sabe muito bem como terminar com esse relacionamento.

Após o termino de 9 anos de relacionamento com Nate. Jenny convida suas melhores amigas da faculdade: Erin e Blair para uma noitada em Nova York. Como uma despedida, já que partiria a pouco para San Francisco a poucos dias.

A atuação das atrizes foi relativamente boa. Considerando que conheço o trabalho da atriz principal a Jenny (Gina Rodriguez) e para mim é uma ótima atriz, e neste papel não foi diferente, foi ótimo. As outras atuações não posso falar muito sobre porque não as conheço muito bem. Mas é nítido o carisma delas pelos papeis que fizeram, toda a atuação em si do filme foi muito boa. 

O filme em si eu não achei grande coisa, confesso que esperava muito mais dele, talvez seja isso. Mas, não é um filme com grandes emoções. O filme todo gira em torno de bebedeiras, drogas, e coisas do tipo. Não é um filme que dê pra tirar algo de muito bom dele, como costumo gostar de assistir filmes que sempre tem algo a nos ensinar sabe? E por conta do tema, pensei que iria ter muito mais conteúdo em si, e não teve, ao menos pra mim. É realmente um filme para descontrair, assistir nas horas vagas. É um filme divertido. 

Acredito que a ideia do filme seja nos mostrar a amizade entre as mulheres e como em um momento de dor e mudanças como o que Jenny está passando, ter amigas por perto é tão importante. É um bom filme, vale a pena assistir, mas realmente é uma comédia romântica bem superficial que em alguns momentos a história não tem muito nexo.  Mas indico a assistirem! É um filme original netflix.

Após ser traída pelo namorado, a arquiteta Bea volta a morar com sua excêntrica família para tentar reavaliar a sua vida.
Gente que vai e volta é uma comédia romântica Espanhola que chegou a pouco tempo no catalogo da Netflix.  E claro, eu já logo fui colocando na lista e assistindo para vir contar para vocês o que achei desse filme. 

Bea tinha uma vida quase que perfeita, o seu relacionamento ia muito bem e ela tinha um ótimo trabalho em um escritório de arquitetura, até que seu namorado a trai e tudo desmorona e a sua vida fica completamente sem rumo. E então ela volta para a sua cidade natal, onde está toda a sua família: Mãe, irmãos, sobrinho. Lá ela passa a ver o mundo e a felicidade com outros olhos e quem sabe possa encontrar um novo amor.

A fotografia do filme é muito bonita, as paisagens são realmente muito lindas e encantadoras, chamam bastante a nossa atenção. As atuações são boas, mas infelizmente nada muito impressionante, mas foi bom. É que realmente com grandes atores como Clara Lago, Carmen Maura, esperamos um pouco mais. 



O filme em si é muito bom, vale a pena tirar um tempo para assistir, me lembra um pouco uma boa comédia romântica estilo sessão da tarde, sabe? O desenrolar do filme é perfeito, ele passa que você não percebe, não é nada cansativo de assistir, tudo acontece no tempo certo, o filme não tem enrolações. É um ótimo filme para assistir em uma tarde sossegada sozinha ou até mesmo com amigas ou o boy, comendo uma pipoquinha. E claro, ele está disponível na netflix. Gostou? Então não perca tempo, corre e já coloca na lista para não esquecer! Comente aqui o que achou da resenha e do filme, beijos e até logo.

As vezes é preciso dar um tempo. Um tempo para si mesmo, um tempo para repensar em todos os seus planos e aprender a priorizar o que realmente precisa de prioridade em nossa vida, e eu também estou falando de pessoas. Tem pessoas que nos sugam, sugam nossas energias de tal forma que as vezes a gente nem se reconhece mais. E é ai que precisamos nos distanciar desse tipo de pessoa, e eu não digo a vida toda, eu na verdade não acho que é a solução para a nossa vida nos afastarmos de tudo que é diferente de nós, pois precisamos sim saber lidar com as divergências, mas há uma enorme diferença entre alguém ser diferente de nós e nos fazer mal, precisamos aprender a entender. Não se culpe por dar um tempo, as vezes é tudo que precisamos, pra colocar as coisas no lugar, pra vida fazer um pouco mais de sentido. 

Leve a vida leve. O mais leve que puder. Elimine tudo que lhe faz mal, comidas, pessoas, lugares. As vezes a vida precisa de um detox, daqueles que desintoxica até a alma, que tira de nós tudo aquilo que já não nos faz mais tão bem e só deixa o que realmente nos traz paz, todos nós precisamos disso. Ora ou outra o caus do mundo nos deixa com os nervos à flor da pele, a maldade do mundo nos deixa sem esperança de um mundo melhor, isso tudo e mais um pouco nos consome cada vez mais e se a gente não mudar este estilo de vida que por muitas vezes culpa da rotina nos deixamos levar, a vida nos leva, nos leva para um caminho sem volta, decepção, depressão, sofrimento, e o resto prefiro nem comentar. 

Na vida há muitas coisas ruins, mas também há muitas coisas boas, tudo é a forma que nos enfrentamos as coisas. Há muitos motivos para lutar e ser melhor a cada amanhecer, então, lute. Leve a vida mais leve, se não ela vai te levar. 


A dor que você não vê, mas eu sinto. A doença da Lady Gaga. Essa é a fibromialgia, e com ela vem a incompreensão e a solidão.

Só quem tem essa doença e todos os sintomas sabe realmente como é viver desta forma, dores agudas e difusas em todo o corpo, espasmos musculares, formigamento e dormência em vários locais do corpo, coceiras no corpo todo, sensibilidade, rigidez. Fadiga, mal estar, tonturas, cansaço excessivo. Constipação, enjoos, diarreia e intestino preso. Enxaqueca, problemas com memória e esquecimento, ansiedade, depressão, insônia e/ou excesso de sono. E pode causar problemas e desconfortos oculares. Todos esses sintomas juntos, de uma só vez.


É tão triste e doloroso ver que as pessoas que amamos e que estão por perto duvidam, dizem que é exagero, que precisamos ser mais fortes, que queremos estar assim e chamar atenção. Toda essa incompreensão dói. Ajudar, estar do lado, ninguém se disponibiliza, nem que seja com a sua atenção e compreensão.


Essa doença leva o melhor da gente, nos transforma em alguém que jamais queríamos ser, você tem certeza que alguém que tem tantos sonhos iria querer ter a vida praticamente interrompida?! Não conseguir cuidar própria da casa, não conseguir se quer cozinhar a própria comida, não conseguir cumprir compromissos, não conseguir ser uma pessoa normal e saudável. Eu jamais desejaria isso! Dizem que a fibromialgia não mata, mas isso não é verdade, ela mata aos poucos, e infelizmente ninguém se importa, ao menos que sinta o mesmo..

“Para qualquer pessoa que não acredita em fibromialgia: eu te desafio a passar cinco minutos em meu corpo em um dia em que estou com dor e depois tentar dizer algo de novo” - LADY GAGA.


Fibromialgia, a doença que dói tanto quanto a incompreensão. Muitas pessoas não fazem a minima ideia do que é fibromialgia, e muito menos do estrago que ela faz com quem de fato tem essa doença. Bom, pra começar, você precisa entender quais são os sintomas da fibromialgia:

  • Dor generalizada: a dor associada à fibromialgia é constantemente descrita como uma dor presente em diversas partes do corpo e que demoram pelo menos três meses para passar
  • Fadiga: pessoas portadores dessa síndrome frequentemente acordam já se sentindo cansadas, mesmo que tenham dormido por muitas horas. O sono também é constantemente interrompido por causa da dor, e muitos pacientes apresentam outros problemas relativos ao sono, a exemplo da apneia, insônia e síndrome das pernas inquietas
  • Dificuldades cognitivas: para os portadores de fibromialgia, é mais difícil se concentrar, prestar atenção e focar em atividades que demandem esforço mental
  • Dor de cabeça recorrente ou enxaqueca clássica, dor pélvica e dor abdominal sem causa identificada (Síndrome do intestino irritável)
  • Problemas de memória e de concentração
  • Dormência e formigamento nas mãos e nos pés
  • Palpitações
  • Redução na capacidade de se exercitar. 

Alguns dos sintomas retirados do site minha vida.

Bom, eu nunca fui uma pessoa completamente saudável, não me lembro de ter ficado um ano inteiro sem dores no meu corpo, sem tontura ou simplesmente uma fraqueza, por muito tempo acreditei que era normal, e até mesmo um reflexo do que vivia, pois desde muito nova tenho ansiedade generalizada e depressão. e também desenvolvi transtornos alimentares desde os meus 11 anos de idade, também sempre tive muitos problemas com cólicas menstruais, sentia tanta dor que não conseguia ir a escola ou qualquer outro lugar daquela forma, e então soube que poderia ter ovário policístico, também tive muitas crises de anemia, dai que veio toda a fraqueza e cansaço que eu sentia. Me lembro de ter dores no corpo desde sempre, mas como eram dores suportáveis e nunca ligaram para isso, eu também não me importava tanto. 

Mas o ano de 2018 a história mudou. Alias, a minha vida mudou, aqui  e aqui eu conto o que aconteceu, mas basicamente foi que pela primeira vez na minha vida viajei para longe dos meus pais, morei em torno de 6 meses no Rio Grande do Sul na casa do meu namorado, com os pais dele e a minha melhor amiga que é irmã do meu namorado (confusão)! Eu nunca tinha ficado tanto tempo longe dos meus pais, sempre fui muito dependente deles, então essa fase foi muito desafiadora para mim. Então, voltamos para minha cidade, Ribeirão Preto, foi onde começou a mudar ainda mais. Tinha casa para cuidar, um relacionamento para cuidar e fortalecer ainda mais, uma empresa para gerenciar e encontrar formas de crescer no mercado. Confesso que era muita coisa para mim, eu já estava em crise de ansiedade muito forte e foi nesse período que voltei a engordar e ter crises de compulsão. 

Comecei a ter crises de labirintite, horríveis. Todos os dias com tonturas muito fortes, de não conseguir ficar em pé e nem com os olhos abertos, enxaquecas muito fortes, enjoos fortes e mal estar que não dá nem para descrever. Passei pela emergência, consultas médicas e nada, nenhum remédio de fato ajudou, Foram meses horríveis, em torno de 2 meses diretos.  Eu já não conseguia mais cuidar da minha casa, não conseguia realizar o minimo das tarefas diárias no trabalho, o relacionamento começou a ficar mais difícil, pois o tempo todo estava com todos esses sintomas.

E do nada, sem explicação, depois de longos dois ou três meses, melhorou muito. Sim, todos esses sintomas da labirintite diminuíram muito, eu já conseguia viver com eles muito melhor.

Mas, para a minha tristeza, não demorou muito para tudo piorar. Comecei a sentir muitas dores nos braços, nos pulsos, nas mãos e até mesmo nos dedos, eu e meu namorado começamos a acreditar que seria uma tendinite, por eu trabalhar com computador, e porque nessa fase que me senti melhor, realmente trabalhei bastante no computador. Então, logo fomos na farmácia mais próxima de casa e o farmacêutico passou um remédio sem receita para dores musculares, e também compramos aquelas munhequeiras, duas. No que contabilizaram um valor bem considerável no final das contas, mas ok, tudo para ficar bem e sem dores. 

Usei pouquíssimas vezes a munhequeira, mas, o remédio tomei por mais ou menos duas semanas, e nada mudou. As dores foram se espalhando por todo o corpo, da cabeça aos pés. Era infernal, eu não conseguia entender o que estava acontecendo, como pode alguém estar com tendinite no corpo inteiro? Comecei a relatar todas essas dores ao meu namorado, que também não conseguia entender a causa disso. Mas, ele sugeriu que poderia ser sedentarismo, já que faz um bom tempo que não pratico exercícios físicos, mas eu sabia que era quase que impossível sentir tanta dor sendo apenas sedentarismo. Foi quando decidi começar a pesquisar esses sintomas, que não era somente as dores físicas, mas também fadiga, muito cansaço, dificuldade para dormir, enxaquecas, tonturas (mais leves do que antes), palpitações fortes, dormência e muito formigamento nas pernas e muitas vezes nos braços também, diarreia, constipação, azia, enjoos fortes, e muito mal estar. E descobri a tal da fibromialgia, comecei a orar muito para não ter essa doença, que é completamente horrível, é uma doença que ainda causa frustrações e dúvidas até mesmo para os médicos e pior, não há cura. Descobri pela reumatologista que todos os meus sintomas realmente são da fibromialgia, ainda estamos fazendo exames. 



As dores muitas vezes são insuportáveis, muitas vezes tenho que ficar de cama por horas e horas, até eu me sentir minimamente melhor para fazer algo, até mesmo ir beber uma água ou usar o banheiro. As dores são em diversos lugares do corpo, cada dia um ou mais locais doem mais. Eu realmente não sei descrever essas dores, não são como as dores de quando ficamos muito tempo na academia e saímos de lá exaustos, são muito piores. Costumo a dizer que parece que caminhões passam por cima de mim diariamente. Eu nunca sei como vai ser o dia de amanhã, se amanhã eu vou conseguir trabalhar ou se quer preparar o nosso almoço. Quando me sinto um pouco melhor, procuro fazer tudo que posso, porque sei que são raras as vezes. Essa doença está prejudicando muito a minha vida, antes dela, eu estava motivada a ser a melhor versão de mim. E mesmo depois, ainda sim penso nisso, mas o desanimo é imenso, como ser a melhor versão de si mesma quando você está debilitada?

Levantar da cama é um imenso esforço, não por preguiça, mas porque as dores são muito fortes, e o mal estar não nos deixa em paz. Não é uma tarefa fácil ter que lidar com essa doença, parte do tratamento é se exercitar, como conseguirei me exercitar se muitas vezes eu não consigo nem andar? É difícil entender o porque fui uma das escolhidas para ter que conviver com essa doença, mas quero acreditar que Deus não nos dá um fardo maior que possamos aguentar.

Muitas pessoas não acreditam. Outras nem sabem que existe essa doença. Acham que é frescura e preguiça, como pode alguém sentir tanta dor? Você quer estar assim! Isso é besteira. É sedentarismo, é porque tá gorda! Se emagrecer melhora. Não, não é bem assim, mas eu gostaria que fosse, seria mais fácil. A incompreensão dói tanto quanto os sintomas, dizem que essa doença causa depressão, acho que comecei a entender o porque, além de na maior parte do tempo estarmos sozinhos, acamados. As pessoas ainda não nos entende, se afastam e preferem acreditar que somos loucos e preguiçosos, ao tentar entender ou ajudar de alguma forma. 

Eu realmente queria estar falando de algo muito feliz ou estar contando sobre algo que conquistei. Mas eu acho importante dividir com vocês de alguma forma, o que é fibromialgia e como uma pessoa que tem essa doença se sente, eu acredito que as pessoas que realmente entendem são as que tem essa doença, pois elas sabem como é viver com essa dor, e se você é uma dessas pessoas, te desejo o melhor, desejo que você continue sendo forte. Se você tem alguém no seu dia a dia que tem essa doença, dê o seu melhor, não duvide, ajude no que puder e tente compreender.

Eu estou procurando formas de conseguir viver com a fibromialgia, e sempre estarei trazendo aqui, tudo que eu descobrir, e relatos do que estou vivendo. Se você leu até aqui, muito obrigada. Muita luz para a sua vida!



Passamos por muitas coisas. Foram diversos desafios, medos e inseguranças, foi um dos anos mais loucos da minha vida, e acredito que da sua também. E a vida nos cobrou, e nós precisamos ser fortes, mesmo que por algum momento isso tenha negligenciado quem somos. E de alguma forma, isso por algum momento nos afastou, mas nada que a gente não possa concertar. A nossa amizade nunca se quebrou.

Mas hoje, estamos aqui. Tentando de novo, todos os dias. Sabe porque? Porque a nossa amizade sempre foi e sempre será eterna, daquelas que nada e nem ninguém destrói. Só nós duas sabemos o que passamos, só nós duas sabemos quem realmente somos, pois sempre dividimos segredos, sem medo de julgamentos ou cobranças, só nós duas sabemos quem somos juntas, e como juntas, somos melhores. Não há chances de viver sem você, podemos sim ter nossas desavenças e ficar algum tempo sem conversar ou por algum momento ter alguma magoa uma da outra, é assim que acontece com irmãs também, não é?! Sabemos tanto uma da outra, cuidamos tanto uma da outra, somos como irmãs, e isso nunca vai mudar.

Eu acredito em destino. E acredito que o nosso encontro era para acontecer, foi tudo planejado por algo maior, por alguém maior. Eu sei que devemos sempre cuidar uma da outra. O amor e o carinho que sinto por você não é normal, você realmente é a minha irmã, talvez seja por isso que as vezes discutimos como tal, não é?

Passamos por tantas coisas juntas, que eu poderíamos escrever aquele livro que sempre sonhamos em escrever juntas. Sobre cada madrugada que ficamos desabafando uma para a outra, sobre cada paixonite que tivemos e a outra sempre tinha que ficar aguentando falar por horas sobre, sobre as nossas descobertas sobre o mundo, sobre nossos incontáveis planos de vida, viagem para Portugal, ou quando decidimos que iriamos ser como aquele cara, o Eduardo Marinho e íamos viver do pouco. Foram tantos momentos especiais, eu te agradeço por isso, por ter me proporcionado tantos momentos lindos, mesmo sendo a distância, eles nunca irão sair da minha memória e muito menos do meu coração. 

Fizemos tantos planos, mas como costumam a dizer: Deus é quem dá a última palavra. Hoje você tem alguém que te ama, que cuida de você, que todos os dias tenta ser alguém melhor para você. Você não sabe o quanto eu já pedi isso a Deus, que Ele te desse alguém que cuidasse e amasse você como você merece. 

E eu também, como ironia do destino é o seu irmão, e isso vire mexe me parece loucura. Aqui no mesmo apartamento que ficávamos conversando por horas enquanto eu ficava deitada em minha cama, hoje ele está aqui comigo, como podíamos imaginar? Eu sei que Deus tem planos para nós, mas esse ele acertou em cheio, ganhei dois presentes lindos! E pode parecer que não, mas sou muito grata por isso.

Ser melhor amiga é estar presente, independente do que aconteça, e conosco, sempre foi assim. Apesar dos pesares, nunca nos abandonamos, sempre estávamos ali uma para a outra, com as mãos estendidas e com conselhos no gatilho. Ser melhor amiga é amar em todas circunstancias, até quando parecer difícil, até quando a gente não se reconhece, ser melhor amiga é nunca desistir da outra, é aguentar firme e forte da tpm aos problemas psicológicos uma da outra. É nunca deixar de amar e nem de estar ali pra tudo. 

Já vivemos tantas versões juntas, um dia o sonho de ser viajante vivendo da forma mais simples possível o outro de morar nós duas em Portugal e descobrir o mundo juntas, o outro de nos casar, ter a casa cheio de gatos e sermos mães. A vida é uma loucura, não é mesmo? O mais louco é que desde que nos conhecemos sempre estivemos presentes de alguma forma, e isso é eterno, sempre estaremos juntas, independente do que acontecer, se tem uma coisa que eu sei, é que a nossa amizade vive, e sempre viverá. 

Eu te amo, e eu não vejo a hora de termos a possibilidade de desta vez, aproveitarmos juntas pessoalmente, como sempre sonhamos.   

Tudo sempre vai passar, exceto nós. 



A vida mudou, a vida sempre muda. Ela está em constante movimento, hoje sozinha, amanhã acompanhada. Hoje tranquila, amanhã preocupada. Vivo com a dúvida de como lidar com essas mudanças, as vezes dá vontade de deitar em uma cama qualquer e esperar os dias passarem, mas a verdade é que é necessário dançar conforme a música, é necessário deixar doer e incomodar, para crescer. Vire e mexe a gente reclama da vida, do trabalho, do lugar que moramos, de pessoas que nos magoam mas que a gente não consegue deixar ir, mas quando tudo isso muda, quando todo esse estado digamos que a nossa zona de conforto deixa de existir precisamos aguentar e saber lidar com essas mudanças da melhor forma possível. Isso aconteceu comigo, há aproximadamente um ano eu vivia reclamando de como estava a minha vida, era a minha rotina que não se encaixava nos planos de vida que eu tinha feito para mim, era a solidão que habitava no meu peito e eu sentia que precisava de alguém comigo para somar na minha vida, era a realidade de estar morando com os meus pais e o que eu mais sonhava era morar sozinha ou de alguma forma me afastar por um momento, seja como for. E aconteceu, tudo o que me incomodava mudou, e eu não soube lidar como deveria, me desesperei. A saudade da minha família não cabia em meu peito, era dia após dia sentindo falta de tudo, principalmente de tudo que um dia me incomodou, mas quando aquilo deixou de ser algo rotineiro, eu sentia que me faltava algo. Era o relacionamento que parecia muito complicado, que eu sentia que o outro estava sempre errado nas brigas e que era dever dele me fazer tão feliz quanto nos meus filmes de romance preferidos. Tudo mudou, mas eu não me permiti mudar, eu fiquei resistente, não soube aproveitar as mudanças que o universo me ofereceu, e a partir do momento que me dei conta, procuro todos os dias da minha vida aceitar todas as mudanças e fazer de tudo para lidar cada vez melhor com elas, o que de fato não é fácil, e eu realmente queria que fosse. Mudanças podem ser incríveis, tudo depende do de como a enxergamos. Tudo sempre irá mudar, depende de você como essas mudanças serão.